Cooperação jurídica internacional na Operação “Lava Jato”: análise crítica a partir da diversidade entre os sistemas jurídicos nacionais.

Fábio Ramazzini Bechara, Gianpaolo Poggio Smanio, Karin Bianchini Girardi

Resumo


O objetivo do artigo é analisar, a partir dos dados relativos aos casos de cooperação internacional na operação “Lava Jato”, qual ou quais as possíveis variáveis que teriam influenciado a postura mais proativa dos países na execução das solicitações de auxílio, apesar da diversidade entre os sistemas jurídicos. A hipótese é que o processo de internacionalização dos direitos humanos no sentido normativo, e das respectivas agendas temáticas, como lavagem de dinheiro, corrupção, crime organizado, dentre outros, incentivou a adoção de um padrão normativo que harmoniza o processo de interlocução e entendimento entre diferentes países.


Palavras-chave


Operação “Lava Jato”. Cooperação jurídica internacional. Padrão normativo universal. Diversidade entre sistemas jurídicos.

Texto completo:

PDF

Referências


BALLEL, Tereza Rodriguez de las Heras. La tolerância exigente. Madrid: Boletin Oficial del Estado, 2002.

BECHARA, Fábio Ramazzini. Cooperação jurídica internacional em matéria penal: eficácia da prova produzida no exterior. São Paulo: Saraiva, 2011.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Acordos bilaterais. 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2019.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Acordos multilaterais. 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2019.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Métodos de proteção de direitos, liberdades e garantias. In: COSTA, José de Faria; SILVA, Marco Antônio Marques da. (Coord.). Direito penal especial, processo penal e direitos fundamentais: visão luso-brasileira. São Paulo: Quartier Latin, 2006.

CASSESSE, Antonio. I diritti umani oggi. Roma: GF Laterza, 2005.

COUTINHO, Jacinto Nelson de Miranda. Sistema acusatório: cada parte no lugar constitucionalmente demarcado. Revista de informação legislativa. Brasília, v. 46, n. 183, p. 103-115, jul./set. 2009.

DAMASKA, Mirjan R. Evidence Law Adrift. New Haven (EUA): Yale University Press, 1997.

DELMAS-MARTY, Mireille. Le pluralisme ordonné. 2. ed. Paris: Éditions Du Seuil, 2005.

DELMAS-MARTY, Mireille. Os crimes internacionais podem contribuir para o debate entre universalismo e relativismo de valores? In: CASSESSE, Antonio; DELMAS-MARTY, Mireille. Existe um conflito insuperável entre soberania dos estados e justiça penal internacional? São Paulo: Manole, 2004.

DERZI, Misabel Abreu Machado. Direito tributário, direito penal e tipo. São Paulo: RT, 1988.

DEZEM, Guilherme Madeira. Da prova penal: tipo processual, provas típicas e atípicas. Campinas: Milennium, 2008.

FERRAJOLI, Luigi. Derechos y garantias: la ley más débil. 4.ed. Madrid: Trotta, 2004.

FETSCHER. Iring. La tolerância: uma pequena virtud imprescindible para la democracia. Barcelona: Gedisa, 1999.

FORDHAM, Michael; DE LA MARE, Thomas. Identifying the principles of proporcionality. In: JOWELL, Jeffrey; COOPER, Jonathan (Ed.). Understanding human rights principles. Oxford: Hart Publishing, 2001, p. 27.

GIACOMET JUNIOR, Isalino Antonio; SILVEIRA, Arnaldo José Alves. Desempenho da cooperação jurídica internacional nos três anos de "Lava Jato". 2017. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2017.

GIACOMET JÚNIOR, Isalino Antonio. Mecanismos jurídicos e bases processuais para a repatriação de ativos. Cooperação em Pauta, Brasília, n. 4, 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2019.

GIACOMET JUNIOR, Isalino Antonio. Re: Pedidos de cooperação jurídica internacional na Lava Jato [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por kgirardi@trf3.jus.br em 24 maio 2018.

GOLDSMITH, Jack L.; POSNER, Eric A. The limits of international law. New York: Oxford University, 2005.

GUARDIA, Gregório Edoardo Raphael Selingardi. Law of evidence e common law: o sistema de provas e o sigilo no direito inglês. Revista da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, v. 106/107, jan./dez. 2011/2012.

JACKSON, John D.; SUMMERS, Sarah J. The internationalisation of criminal evidence: beyond the Common Law and Civil Law traditions. Cambridge: Cambridge University, 2012.

KAUFMANN, Arthur. Derecho, moral e historicidad. Madri: Marcial Pons, 2000.

LAFER, Celso. A reconstrução dos direitos humanos: um diálogo com o pensamento de Hannah Arendt. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

LARENZ, Karl. Metodologia da ciência do direito. 3. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbekian, 1997.

LARGEAULT, Anne Fagot. Sobre o que basear filosoficamente um universalismo jurídico? In: CASSESSE, Antonio; DELMAS-MARTY, Mireille. Existe um conflito insuperável entre soberania dos Estados e Justiça penal internacional? São Paulo: Manole, 2004. p. 100.

LIMA, Jose Antonio Farah Lopes de. Trans-border evidence matters and joint investigation teams within the European Union. Dissertação (Mestrado em Estudos Jurídicos) - Universidade de Cambridge, Reino Unido, 2007.

MACHADO, Maíra Rocha. Internacionalização do direito penal: a gestão de problemas internacionais por meio do crime e da pena. São Paulo: Editora 34, 2004.

MARTINEZ, Gregório Peces-Barba. Curso de derechos fundamentales: teoria general. Madrid: Boletin Oficial Del Estado, 1999.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos e o direito constitucional internacional. 8.ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

RAMOS, André de Carvalho. Teoria geral dos direitos humanos na ordem internacional. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

ROSE-ACKERMAN, Susan; Palifka , Bonnie J. Corruption and government: causes, consequences, and reform. 2.ed. New York: Cambridge University, 2016.

RUBIO, Carlos Ramos. Comisiones rogatorias para la obtención de pruebas - problemas de validez de las pruebas obtenidas en el extranjero: análisis de la jurisprudencia del Tribunal Supremo Español. Estudios Jurídicos,Madrid, n. 3, p. 367, 2003.

SCALCON, Raquel Lima. Tribunal Penal Internacional: dos impasses entre tradições aos conflitos com a constituição brasileira. Revista de Estudos Criminais, Porto Alegre, v. 11, n. 51, out./dez. 2013.

ZAPPALÀ, Salvatore. Human rights in international criminal proceedings. Oxford: Oxford University, 2003.




DOI: https://doi.org/10.22197/rbdpp.v5i2.229

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Fábio Ramazzini Bechara, Gianpaolo Poggio Smanio, Karin Bianchini Girardi

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________

Revista Brasileira de Direito Processual Penal (RBDPP)

  

e-ISSN: 2525-510X - Clique aqui para metadados em OAI-PMH

   

Em parceria com | Partnership with:

Certificada e avaliada em:

SciRev     

Indexações, catálogos e diretórios | Data bases, catalogues and indexes: (ver lista completa/click here for the full list)

                                        

SCImago Journal & Country Rank